quinta-feira, 3 de julho de 2014

DUPLICAÇÃO SC 486 Antônio Heil

Nesta quarta-feira (02/07/14) a CICLOAÇÃO-ITAJAÍ se fez presente na Cerimônia de Assinatura da Ordem de Serviço para a duplicação da Rodovia SC-486 - Antônio Heil que liga Itajaí a Brusque. Um investimento de 131 milhões com um prazo de conclusão de 900 dias.

Na oportunidade estiveram presentes além do Governador Raimundo Colombo, os prefeitos de Itajaí e Brusque bem como outros da Região da Amfri e também alguns vereadores, lideranças políticas e empresariais.

Antes da assinatura, foi mostrada a animação (ver link - https://www.youtube.com/watch?v=qFUFA1QiW4Y) de como ficará a rodovia, onde destacava a via de múltiplo uso (pedestres e bicicletas) como sendo a parte do acostamento. 

Ao final questionamos o senhor Paulo Meller, presidente do Deinfra quanto a destinação do acostamento para a via de múltiplo uso. Este respondeu que realmente esta foi a intenção e que haverá colocação de tachões no bordo da pista e esta estará sendo toda sinalizada verticalmente e horizontalmente em todo o trecho urbano da rodovia tanto em Itajaí quanto em Brusque e que a medida que esta área urbana for se expandindo, ela será da mesma forma ampliada. Falou ainda que nos bolsões destinados as paradas de ônibus, a via de múltiplo uso passará por detrais dessas paradas. Já nos demais trechos o acostamento será de forma normal. 
Paulo Meller enfatizou que esta ação é baseada em norma técnica e que está sendo implantada nesta obra, assim como tem sido feito em países da Europa e que está amparada legalmente para ser assim e que será uma tendencia esta ação, assim como é em outros países, já que conforme evidenciou, o acostamento é somente para que o carro pare em situações inusitadas, como uma emergência ou problemas mecânicos e que isso não afetará o fluxo dos não motorizados.
Apesar de não ser o que consta na lei estadual 15168/2010, mas já é uma forma de mudança em prol a mobilidade.
O que precisamos fazer agora é nos antecipar e fazer com que o que está nas leis 15168/2010 e na 10718/1998 sejam aplicadas desde o projeto e que aqueles que os fazem, possam pensar primeiramente na qualidade de vida e segurança de pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado, sua opinião ou crítica.